Share This Post

Blog / Quadrinistas

Dicas de quadrinhos por Etherington Brothers

Dicas de quadrinhos por Etherington Brothers

Imagine receber dicas de profissionais que realizam palestras e conferências no Reino Unido sobre a criação de quadrinhos. Agora imagine se esses caras estivessem trabalhado em filmes como Star Wars, Wallace and Gromit, Transformers e muitos outros títulos. Os Etherington Brothers destacam-se pela participação destas e muitas obras audiovisuais além de serem os de histórias em quadrinhos como Monkey Nuts, Long Gone Don premiados pela comunidade britânica. A narrativa e construção de suas páginas tem um apelo visual bacana, por isso, preparamos uma tradução livre das dicas apresentadas ao jornal britânico The Guardian no dia 03 de maio de 2013.

1.Escrever… ou desenhar… ou ambos?

Gosto de perguntas boas óbvias e agradáveis, e, para aqueles estão considerando criar uma história em quadrinhos, a primeira pergunta mais óbvia a fazer é: você pode realmente desenhar? Ou talvez uma pergunta melhor a fazer é: Você pode desenhar bem o suficiente para trazer sua história à vida da maneira que deseja? Se a resposta for SIM, bom demais! Siga pra o tópico seguinte. Se a resposta for NÃO, a primeira coisa que você deve considerar é quem estará executando a arte para o seu roteiro. Como o criador de uma aventura gráfica é importante que você escolha um estilo de arte que trabalhe em harmonia com as palavras na página. Europa, Ásia e América do Norte produzem distintas histórias em quadrinhos com uma vasta gama de estilos, por isso é melhor começar sua pesquisa por artistas de quadrinhos, cujo trabalho se adequam bem para sua história e para você como um co-criador. Isso não pode soar como uma dica escrita, mas a criação de histórias em quadrinhos, para a maioria dos escritores, é uma experiência verdadeiramente colaborativa. Trabalhar em parceria com um artista que você admira, e com quem você se sente feliz em dar e receber críticas, irá ajudá-lo a produzir os melhores materiais em quadrinhos.

Molly-Thought-Bubble-sketches5-Lorenzo-Etherington-540x730

2. Uma grande história = Um grande sanduíche.  

Este é outro ponto óbvio, mas que fica esquecido na terra das histórias em quadrinhos, especialmente onde a arte na página é vista como a atração principal. A história em quadrinhos puramente criada em torno de imagens bonitas, sem história é como comer um sanduíche sem recheio. Ou só com manteiga. Claro, que o sanduíche tem uma boa aparência e até cheira bem, mas vai deixar seus leitores com o estômago vazio, procurando desesperadamente na geladeira por algo mais nutritivo. Muito antes das imagens começarem a se formar na página, deve haver um conto real para contar. Como com qualquer outra forma de escrita você precisa reservar um tempo para pesquisar sobre seu trabalho, sobre o que irá apresentar (mesmo que seja uma tirinha de três quadros). Construir as diferentes personalidades de seus personagens, moldar e remodelar o enredo. Pratique escrevendo um monte de diálogo para todos os seus personagens principais (o diálogo é o rei na terra dos quadrinhos), encontre algo original ou interessante, ou simplesmente divertido para criar uma trama uma conspiração. Se você já ama o conceito que bolou para seus quadrinhos antes que você tenha visto sem um único painel ilustrado, então provavelmente tem algo bom em suas mãos!

TANK 2 BY LORENZO ETHERINGTON

3. Use a página …

Há muitas razões para contar uma história em forma de quadrinhos, o mais pertinente de todos é que a página de quadrinhos lhe permite usar todos os truques de Hollywood para complementar a sua escrita, muitos truques inteligentes que os filmes não podem alcançar. Sempre tento e penso um pouco como um diretor (de cinema) quando estou escrevendo. Com fotos para apoiá-lo, você pode usar o silêncio para criar efeitos maravilhosos, cor (ou ausência de cor), pode se tornar um personagem de si mesmo, pode jogar com a “câmera” criando enquadramentos variados na página, e usar a própria página, para puxar os leitores de olho em diferentes direções em uma grande extravagância. As histórias podem ser regimentais, com painéis de tamanhos e formas iguais, ou podem explodir em páginas duplas enormes sem margens com um lineart livre. Há alguns limites para a maneira pela qual uma história em quadrinhos é apresentada, mas a escolha da abordagem estilística vai ajudá-lo a tirar o máximo proveito da forma de narrativa que os quadrinhos permitem.

Monkey-Nuts-the-diamond-egg-of-wonders-cover

4. Mas deixe a página… respirar!

Embora você tenha um monte de opções durante a criação de histórias em quadrinhos, muitas vezes, menos é mais. Uma história em quadrinhos que coloca muitas opções em uma página, em termos de arte, palavras, estilo e duração maior do que o provável gera uma narrativa confusa e pesada. É sempre melhor começar a criar histórias em quadrinhos, praticando o básico, embora existam excelentes epopeias cômicas de 3000 páginas em circulação, eu sugeriria começar com algo menor. Talvez uma única página, ou um conto de 10 páginas. Algo que você pode completar, terminar e ler. As mesmas habilidades são necessárias para uma história de três painéis como uma aventura gráfica de 144 páginas, e criando estes contos curtíssimos, você começará a ter uma ideia de como trazer uma história maior para a vida. Também é de vital importância compreender que o excesso de escrita pode destruir uma boa página. Muitos quadrinista iniciantes começam enchendo a boca de seus heróis com palavras, mas você pode evitar este problema, basta estudar as páginas de qualquer grande série de quadrinhos. O equilíbrio entre palavra e arte é uma habilidade difícil de dominar, mas isto o levará a obter as melhores obras.

Halloween-strip-web-friendly

5. Todas as coisas boas são devem ter um fim.

Comece sua história quando a ação começa e termine-a o mais cedo possível. Este é o melhor conselho que já foi dado e, o melhor conselho que posso dar a qualquer escritor de quadrinhos, ou escritor em geral. Sempre nos esforçamos para começar seus quadrinhos no meio de uma cena, dentro de um contexto. Algumas coisas aconteceram, outras coisas estão acontecendo, e seu leitor puxado para a ação desde o início. Qualquer coisa que valerá a pena conhecer surgirá através da história, mas você quer que seu leitor tenha a sensação de que o mundo se estende em ambos os sentidos, nos quadrinhos e fora dele. E eu sempre tento terminar minhas histórias o mais rápido possível. Eu não quero dizer que deva apressar o seu final – isto é tão ruim quanto um início lento – mas não deixe sua história estagnar. Quando um bom conto é contado, ele acaba e você e seus personagens podem seguir felizes em frente com suas vidas. Se existe magia remanescente no mundo que você criou, os personagens vão deixar rapidamente você saber, logo você começará a trabalhar na sua próxima história.

*********************************************

Aqui encerra a tradução livre, para quem ficou curioso e quiser os processos de criação dos quadrinhos, imagens dos workshops e outras curiosidades pode acessar diretamente o blog dos caras neste link:

 http://theetheringtonbrothers.blogspot.com.br/2011_03_01_archive.html

 

Share This Post

Leave a Reply

Lost Password

Register

Pular para a barra de ferramentas